A Influência da Religião

Ponto de esclarecimento e de discussão sobre a verdadeira influência da religião na Comunidade e na Política, no panorama nacional e internacional. Este blog surgiu no âmbito do trabalho da área curricular Área de Projecto de um grupo de alunos do 12º ano da Escola Secundária de Santa Maria da Feira.

sábado, 31 de Maio de 2008

Apresentação final do trabalho

A apresentação final do trabalho desenvolvido pelo nosso grupo, ao longo deste ano lectivo, será realizada na próxima quinta-feira, dia 5 de Junho, às 21h no Auditório Sallete Milheiro na Escola Secundária/3 de Santa Maria da Feira.

Serão oradores:
Mestre Padre João Bezerra, da Congregação da Paixão de Cristo, correntemente a concluir um doutoramento em Bioética;
Professora Doutora Manuela Franco, ex-Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, e actualmente investigadora do Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa;
Professora Doutora Helena Vilaça, Professora Auxiliar do departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, especialista em Sociologia das Religiões.

Toda a comunidade está convidada a assistir, a entrada é gratuita.

terça-feira, 22 de Abril de 2008

Governo da Argélia manda fechar 13 Igrejas Cristãs Protestantes


O Governo Argelino ordenou o encerramento de 13 Igrejas Cristãs Protestantes desde Novembro de 2007 tendo em conta a lei aprovada naquele país em Fevereiro de 2006,na qual é “proibida a produção de meios destinados a mudar a fé de um muçulmano" tendo as congregações não-muçulmanas que obter uma autorização governamental de forma a puderem realizar os seus encontros e cultos (apesar disto, a lei ainda não produzira efeitos práticos até muito recentemente).

No entanto, segundo o presidente da Igreja Protestante da Argélia, Mustapha Krim, tem sido dificultada a obtenção das necessárias licenças, afirmando que "Seria preferível que as autoridades nos dessem a possibilidade de estar em conformidade com a lei e não nos ordenar fechar as igrejas".

Apesar dos seus recursos e pedidos de explicação não tem obtido resposta o que o leva a afirmar que esta decisão pode estar ligada à recente tensão sobre as alegações de que os cristãos têm tentado converter muçulmanos, visto que o Governo e o Ministério dos Assuntos Religiosos da Argélia não deram qualquer razão oficial para o sucedido, apesar das várias interpelações.

A tensão aumenta progressivamente já que desde o início do mês de Fevereiro 3 cristãos argelinos foram julgados, multados e condenados a 3 anos de prisão por “insulto ao Islão” assim como muitos outros foram expulsos do país,entre eles, o ex-presidente da Igreja Protestante da Argélia, Hugh Johnson, por alegadamente ter importado e distribuído livros religiosos junto de zonas não autorizadas para a prática de religiões não-muçulmanas, sendo considerado uma activista contra o Islão. O Governo Argelino desmentiu, imediatamente, estas muito faladas razões para a expulsão do Pastor Protestante americano afirmando que este foi expulso, simplesmente, devido a razões administrativas relacionadas com o visto de residência.

De referir que a religião Muçulmana Sunita é tida como oficial pelo Estado Argelino, sendo, segundo dados do Ministério dos Assuntos Religiosos, 99% da população sua seguidora, equivalente a 33 milhões de pessoas. Quanto ao número absoluto de Cristãos no país, o mesmo Ministério, nega os números apontados pelas organizações Cristãs do país, de 50000 seguidores, corrigindo-os para apenas 11000. Curiosamente, uma das Igrejas Protestantes forçadas a encerrar, possuía cerca de 1200 seguidores, ou seja, mais de 10% dos Cristãos do país, segundo os números oficiais do poder político.

Fonte: Christianpost

quinta-feira, 13 de Março de 2008

Fogo sobre Zapatero


Em carta divulgada, no dia 1 de Fevereiro, os bispos apelaram à população espanhola a não votar no Partido Socialista (PSOE) nas eleições de 9 de Março, envolvendo-se assim na campanha eleitoral para as legislativas. Os bispos exortaram a população a votar num partido onde os programas eleitorais são compatíveis com a fé e a exigência da vida cristã, o Partido Popular (PP), mais conservador.

Nesta carta os bispos criticam a política levada a cabo pelos socialistas a nível dos casamentos homossexuais, defendendo a família fundada no casamento, e não noutras formas de união e que os conceitos de esposo e esposa, marido e mulher já só têm valor poético. Os bispos censuram a tentativa de negociações por parte do Governo (PSOE) com a ETA.

Esta carta rejeita a lei do aborto que se encontra em vigor há duas décadas e que o PSOE se comprometeu a rever se ganhasse as legislativas, pois a Igreja defende o direito da vida em todas as circunstâncias. Os bispos apontam ainda um dedo acusador contra a política educativa do PSOE que introduziu a educação cívica como disciplina obrigatória, defendendo que isso destrói o direito de os pais educarem os filhos segundo os seus princípios morais.
Por último, esta carta denuncia as dificuldades para a introdução do estudo livre da religião católica nos programas da escola pública, defendendo um grande pacto do Estado para garantir a liberdade do ensino e uma educação de qualidade para todos.

Fonte: El Periódico de Catalunya
Autor: Antonio M. Yagüe
Data: 01.03.2008

quinta-feira, 6 de Março de 2008

Defesa da lei islâmica gera críticas a líder anglicano


Em declarações, através de uma entrevista à BBC, o arcebispo da Cantuária, líder da Igreja Anglicana da Grã-Bretanha, Rowan Williams, referiu a necessidade de a lei britânica e a sociedade adoptarem certos aspectos da lei islâmica (a sharia, código legal e social que tem por objectivo orientar os comportamentos dos muçulmanos) sendo, de facto, "inevitável" essa situação.



"O princípio de que existe apenas uma lei para todos é um pilar da nossa identidade como democracia ocidental. Mas acho que é um equívoco supor que as pessoas não tenham outras crenças que conformam e ditam como elas se comportam na sociedade" ;

"A lei precisa levar isto em conta." ;

"Ninguém em sã consciência gostaria de ver neste país o tipo de desumanidade que às vezes é associada à prática da lei em alguns países islâmicos: as punições extremas, assim como a atitude em relação às mulheres." ;

"uma abordagem da lei que simplesmente diga 'só existe uma lei para todos' é um tanto perigosa" ;

"Existe espaço para encontrar o que seria uma acomodação construtiva com alguns aspectos da lei islâmica, como já existe com alguns aspectos das leis religiosas", foram as palavras do líder anglicano que lamentou, ainda, que os cidadãos muçulmanos tenham de escolher entre "a fidelidade cultural e a fidelidade ao Estado", estas afirmações geraram, prontamente, diverso tipo de reacções, quer dos cidadãos comuns quer do próprio poder político.



Por parte do governo britânico as reacções foram imediatas, afirmando que "as leis britânicas devem se basear nos valores britânicos" (porta-voz de Gordon Brown), "a adoção da lei islâmica criaria um caos social na Grã-Bretanha" (ministro da cultura, Andy Burnham) bem como por parte da oposição, "Williams parece sugerir que deveria haver dois sistemas legais funcionando lado a lado, quase em paralelo, e que as pessoas tenham a possibilidade de optar por um ou por outro. Isso é inaceitável." (porta-voz do Partido Conservador, Baronesa Warsi), contando com várias mensagens de oposição por parte de vários movimentos e cidadãos britânicos mais conservadores.

Já por parte das comunidades religiosas muçulmanas na Grã-Bretanha, admitem a preocupação criada por parte dos ocidentais devido às punições extremas que são aplicadas pelos países com legislação islâmica mas afirmam que "os muçulmanos se sentiriam bastante confortáveis se o governo permitisse que os seus assuntos civis fossem resolvidos segundo a sua fé"; "Estamos a falar da aplicação de apenas um pequeno aspecto da sharia para famílias muçulmanas, em assuntos como casamento, divórcio, herança, custódia das crianças e daí em diante." e que, por fim, "Vamos debater o assunto. É muito complexo. Não é tão simples quanto dizer que teremos um sistema legal aqui.", elogiando as declarações do arcebispo anglicano.

quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008

Objectivos e propósito do Blog

Bem-vindos!
Na sequência do projecto de trabalho do nosso grupo na disciplina Área de Projecto, criamos este Blog com a intenção de divulgar o nosso tema, a nossa pesquisa, os nossos objectivos e todo o nosso trabalho.
Como tema definimos: "A influência da Religião na comunidade e na política Portuguesa e na tomada de decisões das políticas internacionais." e nele pretendemos centrar a discussão e a informação aqui apresentada.
Para além dos objectivos do blog, já referidos, de promover o debate, a troca de ideias e opiniões e a apresentação de variada informação sobre o tema, escolhemos também um conjunto de objectivos e subtemas a tratar no nosso projecto:

  • Compreender a influência da religião na comunidade e política portuguesas;
  • Analisar a preponderância das religiões nos dois campos acima referidos, na actualidade;
  • Investigar o papel das religiões na tomada de decisões a nível internacional, ao longo da História;
  • Conhecer a realidade religiosa em articulação com a política internacional, actualmente;
  • Explicar a génese e a importância da influência religiosa em todos estes domínios.

Esperamos contar com o apoio e contributo da comunidade para a divulgação e dinamização do blog, o que é fundamental para a concretização dos nossos propósitos.

Irão ainda encontrar neste espaço, a apresentação individual dos membros do grupo (grupo nº1 do 12ºF) assim como uma breve apresentação do nosso estabelecimento de ensino, a Escola Secundária/3 de Santa Maria da Feira tal como informação, noticias, opiniões, hiperligações e programação de actividades, obviamente, tudo isto relacionado com o tema.

Em suma, este é um blog destinado a todos aqueles que gostem e pretendem estar informados sobre aquilos que os rodeia. Contamos com a vossa participação!